Domingo II da Páscoa ou da Divina Misericórdia

“Domingo da Divina Misericórdia: A 30 de Abril de 2000, o Papa São João Paulo II na homilia da eucaristia em que canonizou a Beata Santa Faustina Kowalska (1905-1938), instituiu este II Domingo da Páscoa como Domingo da Divina Misericórdia. O Papa disse, então, que «(…) É importante, então, que acolhamos inteiramente a mensagem que nos vem da palavra de Deus neste segundo Domingo de Páscoa, que de agora em diante na Igreja inteira tomará o nome de “Domingo da Divina Misericórdia”. Nas diversas leituras, a liturgia parece traçar o caminho da misericórdia que, enquanto reconstrói a relação de cada um com Deus, suscita também entre os homens novas relações de solidariedade fraterna. Cristo ensinou-nos que “o homem não só recebe e experimenta a misericórdia de Deus, mas é também chamado a “ter misericórdia” para com os demais. (…)»” in Canto da Liturgia

Cânticos para o II Domingo da Páscoa – Ano B (liturgia)

Trazer:

Laudes de Sexta-Feira Santa

Às 9h00 do dia 02/04/2019 (Sexta-feira Santa) o coro tem a responsabilidade de coordenar a oração de Laudes -uma das horas litúrgicas da Liturgia das Horas que destina-se a santificar o tempo da manhã, consagrando a Deus os primeiros movimentos e a atividade de todo o dia que começa.

No dia 30/03/2019 (Terça-Feira Santa) para além do ensaio das musicas do Tríduo Pascal iremos ensaiar também as laudes. Trazer as seguintes musicas:

Domingo de Ramos na Paixão do Senhor

“Os ramos agitados neste dia serão queimados e transformados na cinza que será, na Quarta-feira de cinzas, imposta na nossa cabeça. Isto lembra que aqueles que entusiasticamente gritam “Hossana!” são os mesmos que pouco tempo depois clamam “Crucifica-O”. Também os músicos que tanto embelezam as celebrações pelas suas aclamações são também aqueles por quem tantas vezes os escândalos surgem nas comunidades.”   In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o Domingo de Ramos na Paixão do Senhor – Ano B (liturgia)

Trazer:

  • Todas as musicas da Páscoa e da semana Santa

Vigília Pascal e Domingo de Páscoa da Ressurreição do Senhor

Cânticos para a Vigília Pascal – Ano B (liturgia)

Liturgia da Luz

Liturgia da Palavra

Liturgia Baptismal

Liturgia Eucarística

Cânticos para o Domingo de Páscoa da Ressurreição do Senhor (Liturgia)

Cânticos para a Semana Santa

Os ensaios para a Semana Santa e Vigília Pascal serão ás 21H nos dias:

  • 22, 24, 25, 29, 30, 31 de Março
  • Sexta-Feira Santa, dia 02/04 (Depois da celebração da Paixão do Senhor)
  • Trazer também a partitura: Hossana nas Alturas (JAN) – Eu Levo a partitura para distribuir

Quinta-feira Santa – Missa da Ceia do Senhor (Liturgia)

Sexta-feira Santa – Paixão do Senhor (Liturgia)

Domingo V da Quaresma

“Durante a sua vida mortal, Cristo dirigiu preces e súplicas, com grandes clamores e lágrimas. Ninguém mais que o músico, durante o exercício do seu ministério, pode, usando toda a palete sonora ao seu dispor, transmitir para a assembleia os diferentes estados da alma do cristão, todos eles partilhados por Cristo exceto a contrição. Assim, o músico deve aprender pela humilde obediência a ser voz de Cristo e da Igreja.” In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o V Domingo da Quaresma – Ano B (Liturgia)

Trazer:

Celebrações da Eucaristia com assembleia regressam a 15 de Março

“O Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou hoje o regresso das celebrações públicas da Missa, a partir de 15 de março, mantendo a suspensão de procissões, incluindo o tradicional “compasso” da Páscoa. “O Conselho Permanente refletiu sobre a situação atual da pandemia e decidiu que as celebrações da Eucaristia com a presença da assembleia sejam retomadas a partir do dia 15 de março”, refere uma nota do organismo.

A CEP pede que se evitem procissões e outras expressões da piedade popular, como as ‘visitas pascais’ e a ‘saída simbólica’ de cruzes, de modo a evitar “riscos para a saúde pública”. O regresso das celebrações públicas, que tinham sido suspensas em janeiro, vão decorrer de acordo com as orientações da Conferência Episcopal Portuguesa de 8 de maio de 2020 e “em consonância com as normas das autoridades de saúde”.

As mais de 80 indicações incluem normas para a higienização dos espaços, das pessoas e dos objetos de culto, a reserva de quatro metros quadrados para cada participante, o “obrigatório o uso de máscara” para todos e a adaptação de rituais litúrgicos para evitar o contacto físico, no contexto da pandemia. “Quanto à celebração doutros sacramentos, observem-se as normas de segurança e de saúde referidas nas mesmas orientações”, acrescenta a CEP.”                                     in Patriarcado de Lisboa

Ler o comunicado completo da CEP

Do comunicado do nosso Pároco:

“Tendo em conta que sempre houve, e continuará a haver, na paróquia da Baixa da Banheira, um cumprimento rigoroso das orientações da Conferência Episcopal Portuguesa, assim como, das normas das autoridades de saúde;

A partir do dia 15 de março as Eucaristias serão celebradas com as portas da igreja abertas e a presença normal da assembleia, no respeito pelas normas acima mencionadas;

O horário das Missas, condicionado pelas normas de recolhimento obrigatório aos fins de semana, a partir do dia 15 de Março, será como segue:

De Segunda a Sexta feira:
09h00 – Baixa da Banheira
Sábado:
09h00 – Baixa da Banheira
Domingo:
09h00 – Vale da Amoreira
10h00 – Baixa da Banheira
12h00 – Baixa da Banheira “

Suspensão da celebração “pública” da Eucaristia

Devido à suspensão das Eucaristias, a partir de sábado (23/01/2021), conforme anunciado pela Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), o grupo coral suspende também a sua actividade até nova decisão da CEP.

Esta decisão foi tomada por causa do agravamento da situação epidemiológica da covid-19  com cada vez mais casos de infecção, mortes diárias e internamentos.

Comunicado do nosso Pároco. Ler aqui.

Domingo III do Tempo Comum (Domingo da Palavra de Deus)

“O músico, mais do que qualquer outro artista, tem noção do quanto tudo é passageiro. De facto, mal o som se ouve, imediatamente desaparece. O pintor deixa a sua tela, o poeta o seu livro, o arquiteto o seu edifício. A música aparece e desaparece na sucessão dos sons e, após o acorde final, fica o silêncio: “De facto, o cenário deste mundo é passageiro”. Que, pela sua arte, o músico se apegue aos bens que permanecem.”  In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o III Domingo do tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer:

Domingo II do Tempo Comum

“O Senhor, pôs em meus lábios um cântico novo, um hino de louvor ao nosso Deus”. “Se a música sair apenas do músico, por mais engenhosa que seja, ela é vazia como é vazio o coração do homem sem o dom do Espírito. Por isso, para além do domínio da arte musical, o músico, para que o seu canto seja louvor a Deus, deve pedir que aquilo que é gerado pelos seus lábios tenha a sua origem no Espírito Santo.”        In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o II Domingo do tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer:

Top