Domingo XXXI do Tempo Comum

“No exercício do seu ministério, por mais virtuoso que o músico seja, se não tiver amor, será como metal que soa ou como o sino que tine: sonoros, mas vazios. Pelo exercício do seu ministério musical, o músico também diz o seu “amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”. Para isso, deve inserir-se de coração sincero na finalidade geral da Liturgia: “a Glória de Deus e a Salvação dos homens”    In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o Domingo XXXI do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Domingo XXX do Tempo Comum – Dia Mundial das Missões

“Muitos repreendiam o cego Bartimeu para que se calasse. Mas ele gritava cada vez mais. Quantas vezes muitos se calam na assembleia cristã durante o canto, não porque cantem mal, mas por causa de olhares censores dos outros que pensam: “Porque cantas? Porque manifestas alegria? Não sabes compartilhar o nosso tédio e enfado. Nesses momentos, devemos ter a ousadia de Bartimeu e soltar brados de alegria e súplica.”  In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o Domingo XXX do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Domingo XXIX do Tempo Comum

Cânticos para o Domingo XXIX do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Domingo XXVIII do Tempo Comum

“A música litúrgica não é um puro exercício de estética. A música litúrgica existe para salientar a força da Palavra de Deus; essa sim, é viva e eficaz e penetra até ao ponto de divisão da alma e do espírito. Por isso, na liturgia, o músico deve ter um cuidado escrupuloso em tornar compreensível cada uma das sílabas do texto. Não diluir as palavras com técnicas vocais que aplanam os sons, mas procurar a clareza das palavras.”  In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o Domingo XXVIII do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Domingo XXVII do Tempo Comum

A harmonia das vozes é uma boa metáfora da comunhão das pessoas. A música é só uma, mas cada voz faz a sua parte. Ora uma sobressai e as outras apoiam-na, ora fazem melodias diferentes, mas que se harmonizam; ora se fundem num uníssono perfeito, ora rejubilam num contraponto exuberante. Todavia, tudo concorre para a beleza do resultado final. Todas deixam “o pai e a mãe” para formarem uma só carne.

Cânticos para o Domingo XXVII do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Bênção do Órgão litúrgico

A paróquia de São José Operário teve a graça de receber um órgão litúrgico doado por um Mecenas do Oriente (Macau) em Dezembro de 2020.

Órgão Viscount Unico 500 concebido com 56 registos distribuídos por 3 manuais e a pedaleira. Possui 61 notas musicais em cada manual e 32 no pedal

A celebração da bênção do órgão será realizada no dia 03 de Outubro pelas 16:30 na igreja da Baixa da Banheira.Tendo como convidado o coro LAUDATE de Lisboa (S. Domingos de Benfica) que irá participar na bênção do órgão seguido de um concerto de órgão e canto.

«A música sacra tem lugar muito importante na celebração dos divinos mistérios. Concretamente o órgão, na Igreja latina, exerce uma função de relevo: quer quando
acompanha o canto quer quando toca sozinho, aumenta o esplendor dos ritos sagrados,
contribui para o louvor divino, favorece a oração dos fiéis e eleva o seu espírito para Deus.
Dada a íntima relação do órgão com a música e o canto nas ações litúrgicas e nos exercícios
de piedade do povo cristão, convém que seja benzido antes de ser destinado ao uso litúrgico»     (Ritual das Bênçãos).

Viscount UNICO 500

Domingo XXVI do Tempo Comum

“Há coralistas que olham enfadados para as pessoas que cantam na assembleia. Parecem achar que o canto lhes está reservado. “Quem não é contra nós é por nós”. Se as pessoas sentem prazer em cantar, mesmo não fazendo parte do grupo coral e o fazem bem, os coralistas devem alegrar-se por sentir que o exercício do seu ministério motiva os outros membros da assembleia a louvar a Deus cantando nos momentos próprios.”  In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o Domingo XXVI do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Domingo XXV do Tempo Comum

“Num coro, a arte não está em querer ser o primeiro, mas que todos comecem precisamente ao mesmo tempo. Também não está em querer ser o maior, mas em fundir a sua voz com a dos outros para que o conjunto soe como uma única voz. Para isso, é preciso um ouvido atento à voz dos outros e que aqueles que são mais seguros e têm mais aptidão vocal não se evidenciem, mas sejam o cimento do todo sonoro.”        In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o Domingo XXV do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Domingo XXIV do Tempo Comum

Cânticos para o Domingo XXIV do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Domingo XXIII do Tempo Comum

Inicio dos ensaios do novo Ano Pastoral 2021/2022 – dia 3 de Setembro às 21h 

Cânticos para o Domingo XXIII do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Top