Domingo XXV do Tempo Comum

“Num coro, a arte não está em querer ser o primeiro, mas que todos comecem precisamente ao mesmo tempo. Também não está em querer ser o maior, mas em fundir a sua voz com a dos outros para que o conjunto soe como uma única voz. Para isso, é preciso um ouvido atento à voz dos outros e que aqueles que são mais seguros e têm mais aptidão vocal não se evidenciem, mas sejam o cimento do todo sonoro.”        In Arquidiocese de Braga

Cânticos para o Domingo XXV do Tempo Comum – Ano B (Liturgia)

Trazer

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.